Menu

Ensino superior: patrões fazem nova proposta

Em nova rodada de negociação (29/4), o sindicato dos mantenedores de ensino superior (Semesp) voltou atrás e ofereceu 7,41%, retroativo a março. O índice corresponde à inflação acumulada entre março/2014 e fevereiro/2015, calculada pela média do ICV-Dieese, INPC-Ibge e IPC-Fipe.

O Sinpro-SP, a Fepesp e demais entidades que integram a comissão de negociação não aceitaram a proposta e voltaram a defender o índice de 8,41% mais 24% de abono. Insistiram também na discussão de outras reivindicações importantes, como piso salarial, hora-tecnológica, regulamentação de planos de carreira, entre outras.

As entidades propuseram ainda a intensificação das rodadas de negociação e sugeriram o recurso a uma comissão de arbitragem, se um acordo se mostrar inviável.

Vale lembrar que a proposta anterior do Semesp (5% em março, acréscimo de 2,41% em agosto e abono de 12%) tinha sido recusada pela assembleia dos professores, realizada dia 25/04. Veja mais

Protesto

No início da reunião, foi entregue ao Semesp uma nota de protesto contra a postura patronal nas negociações salariais. Assinado pelo Sinpro-SP e outros 24 sindicatos que integram a Fepesp, o manifesto foi uma deliberação das assembleias dos professores, realizadas em todos os sindicatos, dia 25/04.

Leia a íntegra do manifesto entregue aos patrões:

http://www.sinprosp.org.br/img/noticias/interna_2072.jpg

 

 

 

Fonte: SINPROSP