Menu

O que você deve saber antes de pedir o benefício ao INSS

É comum o segurado do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) ouvir que, na maioria dos casos, o melhor é adiar o máximo possível o pedido da aposentadoria, para escapar de um desconto alto do fator previdenciário, índice obrigatório, usado no benefício por tempo de contribuição, que diminui o valor de quem se aposenta mais cedo.

No entanto, existem condições e situações em que o segurado não deve esperar. Ou porque ele não terá qualquer vantagem em adiar, como é o caso de quem sempre ganhou o salário mínimo, ou simplesmente porque o segurado vai se aposentar para, por exemplo, abrir um negócio e conta com a grana que será liberada.

Especialistas da Previdência Social, ressaltam sempre que, devido ao desconto do fator previdenciário no cálculo dos benefícios, a tendência é ter vantagem na espera. Mas a decisão pessoal será sempre mais importante.

Se o segurado vem recebendo salário mínimo, ele deve pedir a aposentadoria assim que tiver condições, mesmo que pretenda continuar na ativa. O problema é que esse segurado tende a ganhar o piso, mesmo que faça mais contribuições.

Em dezembro, a média salarial de quem sempre recebeu o piso foi R$ 572,22. Como nenhum benefício é menor do que o mínimo, o segurado ainda sai ganhando, pois terá R$ 788,00 neste ano.

 

O QUE VOCÊ DEVE SABER ANTES DE PEDIR O BENEFÍCIO AO INSS

1 - Pensar em viver só com o benefício do INSS
A tendência é que os valores não cubram os gastos mensais, que costumam crescer. Ao se aposentar, é comum o segurado ver sua renda desabar, por isso, aconselhamos a poupar já, fazendo um plano mensal de investimento.

2 - Fazer previdência privada muito tarde
Deixar para contratar o plano muito tarde vai render pouco porque o investidor terá menos tempo. Outro problema é errar na hora de escolher o plano. Por isso, pesquise e faça simulações!

3- Contar só com o saque de FGTS
Se o dinheiro não for aplicado ou for mal investido, vai acabar rapidamente.

4- Não pensar em outra preocupação
Embora seja aconselhável diminuir o ritmo, é preciso programar uma ocupação que garanta uma renda extra.

5 - Esquecer do desconto do fator previdenciário
O índice pode reduzir em até 40% o benefício de quem se aposenta na faixa dos 50 anos. No cálculo, são levados em conta a idade do segurado, o tempo de contribuição, a expectativa de vida da população e do segurado na idade em que pediu a aposentadoria.

6 - Contar com a troca da aposentadoria
O aposentado que trabalha tem que contribuir com o INSS, mas não tem direito a benefícios como o auxílio-doença.

7- Não planejar gastos com plano de saúde
Economize para despesas médicas. Consulte se é possível pagar parte do plano para poder mantê-lo na aposentadoria.

8 - Não separar documentos
Erros na documentação podem reduzir o benefício se todas as contribuições não entrarem no cálculo.

9 - Levar dívidas altas para o período de aposentadoria
A casa e o carro devem ser quitados antes de pedir a aposentadoria.

10 - Manter os mesmos gastos de antes de se aposentar
É preciso fazer de novo as contas para mudar o orçamento mensal.

 

APOSENTADORIA ESPECIAL NÃO TEM DESCONTO

Quem trabalhou em atividade prejudicial à saúde e tem condições  de conseguir a aposentadoria especial deve pedir já o benefício ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Esse é outro caso em que o segurado não terá qualquer vantagem em seguir trabalhando.

O tempo mínimo varia de acordo com a gravidade da atividade em que o segurado atua, e pode ser de 15,20 ou 25 anos. Esse benefício é concedido pelo INSS sem o desconto do fator previdenciário e, portanto, o segurado receberá 100% da média de seus salários.

A comprovação do tempo especial depende da apresentação dos laudos.

 

Fonte: Jornal Agora